Domingo da igreja perseguida

Perseguidos, mas não abandonados!

Curitiba 27.05.2018 - “Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus. Bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós. Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós.” (Mt.5:10-12).

Desde muito tempo em minha caminhada cristã, sempre perguntei a mim mesma: até onde eu suportaria sofrer por amor a Cristo? Seria capaz de morrer por Ele? Ou então, poderia ter uma vida destruída, por amor a Ele? Perguntas que só o próprio Senhor pode responder, pois Ele nos conhece muito mais do que nós mesmos. Mas é fato concreto que desde o início da era cristã, muitos são aqueles que pagaram um preço muito alto por sua fé.

Hoje, como igreja, estamos lembrando e orando por estes irmãos, que dentro da nossa atualidade, de uma forma alarmante e avassaladora, têm sofrido perseguição por sua fé. O que nos surpreende e também nos fortalece, é perceber nos testemunhos destes irmãos, que sua esperança, gratidão e perseverança continuam a existir.

Podemos ter, através de suas vidas, a confirmação da realidade de um Deus que nunca nos abandona, e nos dá forças para prosseguir.  Estes são os mártires, são os heróis da fé, descritos em Hebreus 11, o mundo não é digno deles. Mas a nós pertencentes da mesma família, cabe o dever de perceber, acompanhar, interceder e clamar por suas vidas.

Que o Senhor nos livre da distração maligna que desvia nosso olhar e interesse para longe deles.

Temos, porém que observar o que nos diz a Palavra em ll Tim 3:12 “De fato, todos os que desejam viver piedosamente em Cristo Jesus, serão perseguidos.” Nesta afirmativa estamos envolvidos, se temos uma vida de fervor em Cristo, de alguma forma seremos perseguidos.

Encontrei nos testemunhos destes irmãos, 4 princípios que nos ajudam a enfrentar a perseguição que cada um de nós sofre:
1) Deus nos ouve;
2) Seja ousado;
3) Não desista;
4) Continue orando.

Que o Senhor nos abençoe como intercessores dos irmãos sofredores e também como perseguidos, para nunca desanimarmos. Que um dia possamos também, no final de nossa jornada, afirmar como Paulo “combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé”.

Marília Sanches - Coordenadora da Secretaria de Missões.

 

Acesso Área Restrita

Você está aqui: Início Notícias das missões Domingo da igreja perseguida